Sustentabilidade? Mas que bicho é este?

Primeiramente precisamos entender o conceito da palavra, ok?

Segundo a norueguesa Gro Harlem Brundtland – criadora do conceito de desenvolvimento sustentado – Sustentabilidade é a “forma de desenvolvimento que atenda às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das próximas gerações de suprir as próprias necessidades”.

Em outras palavras, o maior desafio da humanidade é o de preservar o seu padrão de vida e manter o desenvolvimento tecnológico sem prejudicar os recursos naturais do planeta.

Constantemente recebemos visitas de "Maritacas" nas árvores de nossa casa, aqui no Cerrado.

Pesquisadores, cientistas e Organizações não governamentais vêm se mobilizando pelo mundo inteiro para discutir e encontrar soluções práticas para amenizar a destruição do meio ambiente.

No entanto, tudo que vem sendo feito ainda é muito pouco. É preciso que haja políticas públicas de preservação mais eficazes e que o poder público e as grandes empresas repensem seus processos produtivos e suas fontes de energia, abrindo caminho para o desenvolvimento sustentável.

Abrace esta idéia!

Mas, acredito que você e eu podemos contribuir com pequenas atitudes e juntos fazermos a diferença. Sejamos mais conscientes em nosso modo de agir. Em casa, no trabalho, na escola ou faculdade, no lazer…

Por exemplo: reduzindo os minutos embaixo do chuveiro, estamos contribuindo para a redução no gasto de água e energia elétrica. E deixando o carro na garagem pelo menos uma vez na semana, o nível de CO e CO2 também é diminuído.

Outra dica é quanto ao óleo de cozinha. Jamais devemos jogá-lo diretamente na pia. Ao fazermos isso, podemos estar contribuindo para a contaminação dos lençóis freáticos (as águas subterrâneas). Eu, particularmente, junto tudo em uma embalagem reciclável e faço doações para algumas senhoras, aqui do município, que o reutilizam para a fabricação de sabão.

Ah!! Quanto às sacolas plásticas do supermercado, além de levar as minhas Ecobags (sacolas reutilizáveis), também utilizo as caixas de papelão que o próprio mercado deixa disponível para os clientes.

Também procuro usar produtos ecologicamente corretos. Leio sempre as embalagens dos produtos que consumo. Sem contar as verduras e legumes, que compro diretamente de pequenos agricultores. O saldo disto? Alimentos 100% orgânicos e muito mais saudáveis.

Hortaliças orgânicas de pequeno agricultor em Três Ranchos/GO.

Os impactos de nossas mudanças individuais podem parecer pequenos, mas, essas pequenas “atitudes conscientes” ajudam a divulgar uma idéia de consumo mais responsável.

Em seu artigo “Uma evolução silenciosa Marina Silva partilha conosco desta mesma idéia:

“É da sociedade que vem a pressão para mudar a lógica destrutiva do modelo de desenvolvimento ainda hegemônico e dar início a novo ciclo, com base na sustentabilidade (…).”

Crédito de imagem portal Rede da Sustentabilidade.

Até o próximo post…

*Clí Santos.