Rio Quente oferece pacotes especiais para dez capitais do País.

Fonte: Jornal de Turismo (26 de agosto de 2011)

Além dos fretamentos da TAM com saídas de São Paulo para Caldas Novas, viajar para o Rio Quente Resorts está ainda mais fácil para moradores de dez capitais do país – Cuiabá (MT), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN), Recife (PE), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS).

Com valores especiais para essas regiões e pacotes de três ou sete dias, os passageiros saem às quintas-feiras e domingos, em voos regulares operados pela TAM, TRIP e Passaredo. As chegadas podem ser em Caldas Novas ou Goiânia com traslado exclusivo ao paraíso das águas quentes.

Crédito de imagem: Rio Quente Resorts

No Rio Quente Resorts, os hóspedes podem desfrutar de muito conforto e atividades 24 horas com toda a família. Sete hotéis, academia, spa, quadras de futebol, restaurantes, bares, shows noturnos e extensa programação de eventos e festivais tornam inesquecível a experiência no complexo.

Crédito de imagem: Rio Quente Resorts

No Parque das Fontes, os visitantes encontram o maior conjunto de piscinas de águas quentes correntes e naturais do mundo, com duchas, ofurôs e bares aquáticos. E mais: todo hóspede recebe ingresso cortesia para o Hot Park, melhor parque aquático do Brasil, ao lado do resort e que conta com a Praia do Cerrado.

 

Sustentabilidade? Mas que bicho é este?

Primeiramente precisamos entender o conceito da palavra, ok?

Segundo a norueguesa Gro Harlem Brundtland – criadora do conceito de desenvolvimento sustentado – Sustentabilidade é a “forma de desenvolvimento que atenda às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das próximas gerações de suprir as próprias necessidades”.

Em outras palavras, o maior desafio da humanidade é o de preservar o seu padrão de vida e manter o desenvolvimento tecnológico sem prejudicar os recursos naturais do planeta.

Constantemente recebemos visitas de "Maritacas" nas árvores de nossa casa, aqui no Cerrado.

Pesquisadores, cientistas e Organizações não governamentais vêm se mobilizando pelo mundo inteiro para discutir e encontrar soluções práticas para amenizar a destruição do meio ambiente.

No entanto, tudo que vem sendo feito ainda é muito pouco. É preciso que haja políticas públicas de preservação mais eficazes e que o poder público e as grandes empresas repensem seus processos produtivos e suas fontes de energia, abrindo caminho para o desenvolvimento sustentável.

Abrace esta idéia!

Mas, acredito que você e eu podemos contribuir com pequenas atitudes e juntos fazermos a diferença. Sejamos mais conscientes em nosso modo de agir. Em casa, no trabalho, na escola ou faculdade, no lazer…

Por exemplo: reduzindo os minutos embaixo do chuveiro, estamos contribuindo para a redução no gasto de água e energia elétrica. E deixando o carro na garagem pelo menos uma vez na semana, o nível de CO e CO2 também é diminuído.

Outra dica é quanto ao óleo de cozinha. Jamais devemos jogá-lo diretamente na pia. Ao fazermos isso, podemos estar contribuindo para a contaminação dos lençóis freáticos (as águas subterrâneas). Eu, particularmente, junto tudo em uma embalagem reciclável e faço doações para algumas senhoras, aqui do município, que o reutilizam para a fabricação de sabão.

Ah!! Quanto às sacolas plásticas do supermercado, além de levar as minhas Ecobags (sacolas reutilizáveis), também utilizo as caixas de papelão que o próprio mercado deixa disponível para os clientes.

Também procuro usar produtos ecologicamente corretos. Leio sempre as embalagens dos produtos que consumo. Sem contar as verduras e legumes, que compro diretamente de pequenos agricultores. O saldo disto? Alimentos 100% orgânicos e muito mais saudáveis.

Hortaliças orgânicas de pequeno agricultor em Três Ranchos/GO.

Os impactos de nossas mudanças individuais podem parecer pequenos, mas, essas pequenas “atitudes conscientes” ajudam a divulgar uma idéia de consumo mais responsável.

Em seu artigo “Uma evolução silenciosa Marina Silva partilha conosco desta mesma idéia:

“É da sociedade que vem a pressão para mudar a lógica destrutiva do modelo de desenvolvimento ainda hegemônico e dar início a novo ciclo, com base na sustentabilidade (…).”

Crédito de imagem portal Rede da Sustentabilidade.

Até o próximo post…

*Clí Santos.

E lá se foi mais um semestre!!!

Semestre bastante puxado e por conta disto surgiram algumas dificuldades. No entanto, me esforcei, estudei e conquistei cada nota atribuída nas disciplinas a seguir.

Crédito de imagem: google

Vamos aos comentários:

Em Políticas Públicas iniciamos os estudos com um debate global com foco nas relações entre as concepções de política e de Estado. A partir dos conceitos desenvolvidos, partimos para uma análise crítica mais profunda, através qual foi possível discutir alguns elementos específicos das políticas públicas no contexto atual do país, inserido na sociedade globalizada. Esta disciplina foi bem bacana, porque me possibilitou entender como funcionam as políticas públicas do município em que resido atualmente. Inclusive, fiz uma entrevista com a Secretaria de Saúde daqui, que me esclareceu várias dúvidas sobre como um gestor bem capacitado pode desenvolver projetos, que, ainda que pequenos, podem fazer a diferença para o bem-estar da população.

Na disciplina Gestão de Meios de Hospedagem II, o plano de estudos foi direcionado para: processos operacionais e de gerenciamento dos setores de almoxarifado; manutenção; compras; recursos humanos e controladoria; estratégias de gestão; franquia; gerenciamento e condo-hotéis (condomínio hoteleiro); meios de hospedagem alternativos e hotelaria hospitalar. Nesta disciplina nos foi solicitado um trabalho de campo em que, foi necessário visitar um meio de hospedagem e fazer nossas próprias avaliações sobre tudo que presenciamos. E, para minha surpresa, encontrei inúmeras irregularidades na Pousada que escolhi
como objeto do meu estudo. Infelizmente, existem inúmeros meios de hospedagem espalhados por aí nessa mesma situação.

Estudando Empreendedorismo: o processo de ensino desta matéria girou entre empreendedorismo e empreendedor. Desenvolvendo perfil, competências e habilidades. Assim como os aspectos estratégicos, gerenciais e operacionais. E por fim, o Empreendedorismo frente à gestão de pessoas e da organização.

Passando para Planejamento Governamental…mais uma disciplina voltada para a gestão pública. Estudamos seus principais objetivos, por exemplo: como se desenvolve o processo de planejamento e a sua importância para a Administração Pública. E o papel do planejamento governamental para a satisfação dos interesses da sociedade.

Em Estatística passei alguns apuros…rsrs. Achei a disciplina um pouco complicada. Na verdade, nunca morri de amores por cálculos e talvez tenha vindo daí a dificuldade. Mas, aos poucos fui me identificando com o aprendizado e tendo a certeza de que a Estatística está presente nas decisões mais simples de nosso cotidiano e também nas mais complexas. Por exemplo: na economia, medicina, na política e em muitas pesquisas e experimentos. Nessa disciplina estudamos: Conceitos Gerais da População; Amostra; Parâmetro; Estatística; Tipos de dados; Níveis de mensuração; Planejamento e experimentos; Resumo de dados qualitativos e quantitativos em tabela de freqüência simples e bivariada; Medidas de tendência central; Variação; Posição e números-índices.

Ufa! Rapadura é doce mas, não é mole não…rsrrs.

O mais interessante é que precisei muito da Estatística em meu trabalho de conclusão de curso na disciplina de Estágio Supervisionado. Para esse trabalho, nós, alunos, tivemos duas opções: vivenciar o conteúdo do curso na prática, através de estágio em empresa pública ou privada ou desenvolver a capacidade de planejamento turístico, na realização de projeto social ou comunitário. Optei pela segunda, apesar de também me dispor a realizar um estágio voluntário para um órgão público no município em que resido, em Goiás.

Confesso que gostei bastante da idéia de contribuir com um pouquinho do que aprendi até aqui, para ajudar a comunidade local do município. Apresentei o projeto: “Feira de Artesanato Típico Permanente”, com o objetivo de incentivar a visitação à cidade nos finais de semana; desenvolver nos artesãos locais a capacidade de criação e a identidade de seus artesanatos e, consequentemente, ampliar a fonte de renda dessa população, além de divulgar a cultura regional e, com isto, dar início a uma programação turística consistente e permanente no município.

Agora, se o projeto será implantado aí já é outra história…digamos que eu gostaria muito que sim! Rsrsr…

No mais, vou ficando por aqui, aguardando a revisão da minha grade curricular, quando finalmente saberei se consegui concluir minha graduação em Turismo. Depois conto o resultado…rsrs

Saudações turísticas!!!

* by Clísantos